António Matos Reis

 
Ver mais

António Matos Reis


 

António Pais de Matos dos Reis nasceu no lugar de Felgueiras, freguesia de Fornelos, concelho de Ponte de Lima, no dia 21 de Abril de 1943.

Concluiu com distinção o exame da quarta classe (4.º ano do ensino básico), na vila de Ponte de Lima, a 24 de Julho de 1953.

De Outubro de 1953 a Julho de 1965 frequentou os seminários diocesanos de Braga, tendo obtido a média geral final de 15 valores.

Em 1970, matriculou-se na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, concluindo o bacharelato em História, em 1973, e a licenciatura, em 1975, com a média final de 14,4 valores e pre-especialização em História Contemporânea.

Em 16 de Novembro de 1989, concluiu, na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, o curso de Mestrado em História Medieval, defendendo a tese “Origens dos Municípios Portugueses», com a classificação de Muito Bom.

Concluiu o Doutoramento no ramo do conhecimento em História, pela Universidade do Porto, com a tese intitulada “Os Concelhos na Primeira Dinastia à luz dos forais e de outros documentos da Chancelaria Régia”, em 7-12-2004.

No ano lectivo de 1976‑1977 fez, na Università Internazionale del'Arte, em Florença, o Curso de Museologia.

Na mesma cidade concluiu, no ano de 1983, o Curso de Estudos Especiais de Crítica de Arte.

Em Florença fez também, em 1985, um Curso de Produção e Restauro de Cerâmica Artística, na International School of Ceramic (Marcello Fantoni).

Professor do ensino secundário oficial desde 1 de Outubro de 1966, fez, em 1975-1976, o estágio pedagógico no Liceu de Viana, obtendo a classificação de 16,5 valores, a mais alta, nesse ano, a nível nacional. Leccionou na Escola do Ciclo Preparatório de Ponte de Lima e nas Escolas Técnicas de Ponte de Lima (1966-1974) e de Viana do Castelo (1974-1975), na Escola Secundária de Ponte da Barca (1977-1978) e no Liceu, depois Escola Secundária de Santa Maria Maior, de Viana do Castelo, pertencendo ao respectivo quadro desde 1978 até 1989.

No ano lectivo de 1977‑1978, foi director da Escola Secundária de Ponte da Barca. Em 1980-1982, orientou o estágio de profissionalização em História na Escola Secundária de Santa Maria Maior, onde desempenhou também outras funções, como as de assessor para os cursos nocturnos, delegado de grupo e director de turma.

Desde Março de 1980 até Dezembro de 1982 dirigiu, pela primeira vez, o Museu Municipal de Viana do Castelo, organizando, então, os ficheiros descritivos das peças que constituíam o seu recheio, promovendo exposições e publicando vários trabalhos destinados a incrementar o conhecimento do museu e das suas colecções por parte do público: Museu de Viana (a sua história); Roteiro do Museu de Viana (guia para os visitantes); Introdução ao estudo da faiança de Viana; O Museu Passado, Presente e Futuro; Património I Catálogo da Faiança de Viana. Na reunião de 11 de Dezembro de 1984, a Câmara Municipal decidiu convidá-lo novamente para dirigir o Museu, funções que não pôde assumir por se ter comprometido a realizar estudos na Itália, com uma bolsa no âmbito dos acordos de intercâmbio cultural entre Portugal e aquele país.

Em resultado de concurso oficial, tornou-se, a partir do dia 1 de Agosto de 1989, Conservador do referido Museu de Viana, que dirigiu, com a categoria de Chefe de Divisão, de 1 de Janeiro de 1994 a 30 de Junho de 2006, funções em cujo exercício procurou valorizar o património do Museu e imprimir-lhe maior dinamismo nas relações com o público. Neste programa se enquadra a planificação e realização de um grande número de exposições temporárias, entre as quais se destacam as seguintes: Ex-votos Marítimos, em Julho de 1990; Viana Desaparecida, em Janeiro de 1991; Minho – Desenhos de Manuel Couto Viana, em Abril de 1993; Últimos Veleiros do Porto de Viana, em Agosto de 1993; De Corpo e Alma (colectiva de artistas), em Novembro de 1994; Carolino Ramos, em Janeiro e Fevereiro de 1995; Leandro Quintas Neves – no centenário do nascimento, em Setembro de 1995; Abel Viana – o Homem e a Obra, de Fevereiro a Abril, A revolução dos transportes e a transformação da cidade (1870-1920), em Junho e Julho, Obras singulares, em Outubro de 1996; Manuel Filgueira – fotógrafo de Viana, em Maio, e Maria Manuela Couto Viana – Memórias do Alto Minho, em Agosto em 1997; Temas de Natal – obras de arte dos séculos XV a XIX, em Dezembro de 1997 e Janeiro de 1998; António Manuel Couto Viana – Vida e Obra, em Março e Abril, e Azulejos Portugueses – do século XVI ao século XIX, em Novembro e Dezembro de 1998; Temas da Páscoa, em Março e Abril de 1999.

Director do Departamento de Desenvolvimento Económico, Social e Cultural da Câmara Municipal de Viana do Castelo, desde 10 de Maio de 1990 até 31 de Dezembro de 1994. Nessa qualidade foi responsável pelas principais actividades desenvolvidas pela Câmara Municipal de Viana do Castelo, no quadriénio de 1994, nas áreas educativa e cultural, tendo tido uma intervenção fundamental nas seguintes realizações:

  •  Edições: proposta e acompanhamento da publicação de mais de uma dezena de livros;
  • Feira do Livro de 1990, Expo-feiras do Livro de 1991, 1992 e 1993;
  • Restauro do Teatro Municipal Sá de Miranda (primeira fase, inaugurada em Outubro de 1993);
  • Outras actividades, designadamente no âmbito da animação cultural, como o Festiviana (Festival de Cinema de Viana do Castelo) de 1992 e 1993, concertos e sessões comemorativas do Dia da Cidade e do Dia do Município.

 Actividades diversas

 Participante activo em diversas actividades culturais, é membro de várias associações, entre as quais se destacam:

  • SPEM-Sociedade Portuguesa de Estudos Medievais;
  • Sociedade de Museologia, de Florença;
  • ICOM (International Council of Museums);
  • APOM (Associação Portuguesa de Museologia);
  • ASPA-Associação para e Estudo e Defesa do Património (Braga);
  • APH (Associação dos Professores de História);
  • APAC (Associação Portuguesa dos Amigos dos Castelos);
  • CIH (Centro de Investigação Histórica, Faculdade de Letras da Universidade do Porto);
  • CEPESE – Centro de Estudos da População, Economia e Sociedade (Porto).
  • Tem exercido funções de direcção em algumas dessas associações:
  • Vice– Presidente e depois Presidente da Junta Directiva do CENTRO DE ESTUDOS REGIONAIS;
  • Secretário-Geral e depois Vice-Presidente do INSTITUTO CULTURAL GALAICO‑MINHOTO;
  • Membro da comissão instaladora do INSTITUTO LIMIANO – MUSEU DOS TERCEIROS;
  • Membro da comissão instaladora e Presidente da Direcção da ASSOCIAÇÃO DE JORNALISTAS E HOMENS DE LETRAS DO ALTO MINHO;
  • Sócio fundador e primeiro presidente da ASSOCIAÇÃO MEMÓRIA E DIGNIDADE.

Presidiu à organização das IV Jornadas Regionais sobre Monumentos Histórico‑Militares (Valença, 1984);

Foi membro das Comissões Organizadoras do II Simpósio sobre Castelos Raianos de Portugal e Espanha (Viana-Pontevedra, 24-28 de Julho de 1985), do Congresso sobre a Ordem de Cister em Espanha e Portugal (Ourense, 1992), do Vº e do VIº Colóquio Galaico-Minhoto (Braga, 1994, e Ourense, 1996); fez parte da Comissão Organizadora do V.º e do VI.º Colóquio Galaico-Minhoto (Braga, 1994; Ourense, 1996).

Procedeu à reorganização do Arquivo Histórico da Misericórdia de Ponte de Lima, e à publicação do respectivo catálogo.

Em 1995, fez o levantamento do Património Cultural, situado no litoral entre Caminha e Esmoriz, para o Plano de Ordenamento da Orla Costeira.

Contribuiu com notas biográficas de figuras originárias de Ponte de Lima, para o Dicionário de História da Igreja em Portugal e, com o artigo sobre a Diocese de Viana do Castelo, para o Dicionário de História Religiosa de Portugal.

Tem volumosa colaboração, de índole variada, com predomínio dos temas resultantes da investigação histórica, em diversos periódicos, e sobretudo nos órgãos da imprensa regional da Ribeira Lima (Notícias de Viana, Aurora do Lima, Cardeal Saraiva, Povo do Lima, Notícias dos Arcos, Povo da Barca) e arredores (Barcelense, Diário do Minho).

Foi coordenador de redacção e director da revista Estudos Regionais (vol. 5 a 11) e coordenador de redacção da revista Cadernos Vianenses (vol. 14 a 16).

É autor de numerosos trabalhos de investigação histórica, alguns editados separadamente, e outros publicados em revistas, principalmente nas seguintes:

  • Revista de Guimarães;
  • Mínia;
  • Arquivo do Alto Minho;
  • Arquivo de Ponte de Lima;
  • Terra de Val de Vez;
  • Revista da Faculdade de Letras – História;
  • Revista de Administração Local, além dos já referidos Estudos Regionais e Cadernos Vianenses, que se referem a vários períodos e assuntos.
  • Tem feito ainda numerosas conferências e participado activamente em elevado número de congressos e colóquios.

Por deliberação unânime de 27 de Janeiro de 1997, a Câmara Municipal de Ponte de Lima atribuiu-lhe a Medalha de Mérito Cultural, com que foi agraciado na sessão solene comemorativa da fundação de Ponte de Lima, em 4 de Março do mesmo ano.

Em 2008, foi galardoado com o Prémio Nacional de História Medieval “Almeida Fernandes”.

  

Bibliografia

  • Itinerários de Ponte de Lima, Ponte de Lima, 1973
  • Fundação de Ponte de Lima – O Foral de D. Teresa, Ponte de Lima, 1976
  • A Romanização no Concelho de Ponte de Lima, Ponte de Lima, 1978
  • Santa Casa da Misericórdia de Ponte de Lima, Ponte de Lima, 1979. História da instituição
  • Roteiro do Museu de Viana, Viana, 1982
  • Instituto Limiano Museu dos Terceiros. Guia do Visitante, Ponte de Lima, 1984
  • Castelos do Alto Minho, Viana, 1986.
  • Mosteiro de Refojos do Lima – as suas origens, em Subsídios para a História do Convento de Refoios, Ponte de Lima, 1988.
  • Origens dos Municípios Portugueses, Lisboa, Livros Horizonte, 1991.
  • Minho, desenhos (catálogo e álbum da exposição de pinturas e desenhos de Manuel Couto Viana), Viana do Castelo, 1993
  1. Tiago nas imagens e caminhos do Alto Minho. Catálogo da exposição apresentada no Museu Municipal de Viana do Castelo, 1993 (em colaboração com Manuel Gomes Dias, Rui A. Faria Viana e Manuel Inácio Rocha)
  • Últimos veleiros do porto de Viana, Viana do Castelo, 1993
  • O Foral de Valença, Valença, 1996
  • Senhora da Boa Morte. Iconologia e História da Arte, Viana do Castelo, 1996
  • A Santa Casa da Misericórdia de Ponte de Lima no passado e no presente, Ponte de Lima, 1997
  • O Santuário da Senhora da Boa Morte na Iconografia e na História da Arte, Ponte de Lima, 1997
  • Entre o sucesso e a desgraça: Pero do Campo Tourinho, fundador de Porto Seguro, Viana do Castelo, Centro Cultural do Alto Minho, 2000
  • Ponte de Lima no Tempo e no Espaço, Ponte de Lima, 2000
  • Origens dos Municípios Portugueses, Lisboa, Livros Horizonte, 2.ª edição, 2002
  • A Louça de Viana na época áurea da faiança portuguesa, Lisboa, Livros Horizonte, 2003
  • Anais Municipais de Ponte de Lima, 3ª edição (prefácio e revisão crítica), Ponte de Lima, 2003.
  • Origens de Ponte de Lima, Junta de Freguesia de Ponte de Lima, 2005
  • História dos Municípios (1050-1383) (correspondente, com algumas alterações, à dissertação de doutoramento inttulada “Os Concelhos na primeira dinastia à luz dos forais e de outros documentos da Chancelaria Régia”). Lisboa, Livros Horizonte, 2007
  • Foral Manuelino de Viana da Foz do Lima, Centro de Estudos Regionais, Viana do Castelo, 2012, 78 pág. (reune trabalhos publicados em vários números da revista Estudos Regionais)
  • Foral Manuelino de Valença, Valença, Câmara Municipal
  • Arcos de Valdevez. A terra e o foral manuelino, Arcos de Valdevez, Câmara Municipal, 2015 (em colaboração com Paula Pinto Costa).

Ponte de Lima no Mapa

Ponte de Lima é uma vila histórica do Norte de Portugal, mais antiga que a própria nacionalidade portuguesa. Foi fundada por Carta de Foral de 4 de Março de 1125, outorgada pela Rainha D. Teresa, que fez Vila o então Lugar de Ponte, localizado na margem esquerda do Rio Lima, junto à ponte construída pelos Romanos no século I, no tempo do Imperador Augusto. Segundo o Historiador António Matos Reis, o nascimento de Ponte de Lima está intimamente ligado ao nascimento de Portugal, inserindo-se nos planos de autonomia do Condado Portucalense prosseguidos por D. Teresa, através da criação de novos municípios. Herdeira e continuadora de um rico passado histórico, Ponte de Lima orgulha-se de possuir um valioso património histórico-cultural, que este portal se propõe promover e divulgar.

Sugestões